Mulher Polvo

Graziela Monforte: Com amor, fica mais fácil

Três filhas, duas unidades de uma empresa e uma aptidão enorme para fazer tudo bem feito. Essa é a perfeccionista empresária Graziela Monforte, proprietária da Shape, e sem dúvida um bom exemplo de uma mulher bem sucedida.

por: Guilherme Zanette
fotos: Divulgação e Marcos Zuffo

Ano passado, quando estávamos no ensaio para a capa da última edição do ano da Public LifeStyle, que trouxe cinco mães e seus filhos, tivemos um contato próximo e vimos o quanto a empresária Graziela Monforte, proprietária da Shape Estética, era apegada as três filhas (Lara, Manuela e Julia). As quatro estavam juntas o tempo todo. “Sou suspeita para responder, mas acredito ser uma mãe amiga como minha mãe é para mim. Dedicada, porque não abro mão de estar com elas em todos os minutos que posso. Carinhosa e, além de tudo, apaixonada pelas três”, declara ela em frases que vem ao encontro de nossa observação.

O desejo de ser mãe sempre esteve presente. “E eu adoro ver a mesa rodeada de crianças comendo macarrão aos domingos”, se diverte. Além disso, ela conta que, desde criança, sempre teve duas grandes metas: ter uma família bem construída (estruturada) e, também, exercer uma atividade próspera que fizesse com amor. Não resta dúvida que conquistou isso com muito êxito.

Manter-se a maior parte do tempo perto das filhas, contudo, não é uma tarefa fácil. Com a segunda unidade da Shape, Graziela tem de se desdobrar ainda mais. Repare: “Acordo às 7h30 e começo a maratona. São 60 “unhinhas” para cortar, três banhos para dar, lições de casa para fiscalizar, três mochilas para arrumar. Acompanhá-las em cursos extracurriculares, telefonemas para dar e atender, resoluções que não podem esperar e, claro, alguns momentos para eu me preparar e ir para a Shape. Almoço às 13h, trabalho a tarde inteira e, de volta à casa, nunca sei a que horas conseguirei dormir.” Ufa!

A longa rotina fez com que Graziela percebesse que sua vocação para administrar (não só o trabalho como o tempo) é grande. “O dia a dia ensinou-me que, com tamanha correria, seria impossível prosseguir sem ter diretrizes previamente elaboradas, sem cumprimento a horários, por exemplo, sem a chamada organização. Assim, consigo levar a efeito todos os meus afazeres, ou praticamente todos.”

Contudo, uma pergunta surge: é difícil conciliar trabalho, família e outros afazeres? Sobre isso, a empresária é categórica: “Tudo o que se faz com amor não é passível de ser chamado de difícil. Agora, facílimo não é. Sou perfeccionista e ainda tenho dificuldade em delegar, centralizo muito minhas funções. Vou, diariamente, nas duas unidades da Shape. Por outro lado, se um de meus objetivos sempre foi a família, obviamente é um prazer cuidar de tudo o que se refere a ela. Também adoro arrumar a minha casa, organizo tanto nossas coisas que até me pergunto se não tenho TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)!”, afirma.


Filha da renomada advogada e colunista social de Santos, Clara Monforte, Graziela se formou também em Direito e exerceu a profissão por sete anos. Em nossa entrevista, ela confessa que muitos aspectos do Direito não lhe agradaram, em especial a lentidão dos processos e sua indignação ante a injustiça. “Daí, soube que a Shape estava à venda e, em 24 horas, fiz o negócio, tornando-me proprietária da clínica. Coisas do destino!”

Isso foi a 11 anos atrás. Daquela época até hoje, a empresa saltou de 11 funcionários para uma equipe com mais de 100 entre as duas unidades. “A Shape foi e é um marco na minha vida pessoal e é claro, profissional. Vejo na empresa não somente uma função, mas uma missão. Um enorme amadurecimento que me fez crescer”, confessa. Apesar disso, quando questiono como se vê como empresária, Graziela explica que prefere se observar de longe, para não perder seu senso crítico sobre ela mesma. “Prefiro pecar pelo excesso do que pela omissão. O bom exemplo deve começar por mim, enquanto empresária e, somente dessa forma, atingirei meus parceiros”, completa. E revela uma particularidade, uma inquietude: “Quem ainda quer crescer — e muito — não pode dizer que está realizado. Posso, no entanto, afirmar que, com tudo o que faço e com tudo com tenho, hoje estou feliz. Quero ter sempre motivação para fazer algo mais, pelo menos até os 100 anos.”

Sempre preocupada com as pessoas, ela diz ter aumentado esse seu sentido de humanização com a empresa. “Converso intimamente com clientes e profissionais sempre que sinto necessidade.”

Quando sobra um tempo livre, ela o usa para estar com as pessoas que ama. “Essa é uma característica pessoal que me acompanha desde criança. Curto conversar, acho que a troca de ideias acrescenta para ambas as partes e o diálogo renova os sentimentos e as energias”. Além disso, viajar também é sempre uma boa opção, principalmente com a família. “Avião, navio, carro, não importa. Passear por lugares conhecidos e desconhecidos com minha família é uma felicidade. Ver as três malinhas das meninas enfileiradas então, nem se fala”.

Pelo menos por enquanto, Graziela não pensa em ter mais filhos. “Nunca se sabe o dia de amanhã. Acho até que, não houvessem hoje certas dificuldades triviais, como a falta de mão-de-obra especializada, eu continuaria tendo mais filhos, com total concordância do meu marido Felipe. Pensamos da mesma maneira”, conta.

Determinada, Graziela busca se tornar uma pessoa cada vez melhor. Ela se diz teimosa, sensível e paciente também (até a página dois)! “Procuro respeitar as pessoas, aproveitar cada momento e aprender com cada lição que a vida me propõe”. No caso dela, família e trabalho são sinônimos de vida. Sem dúvida nenhuma, bem sucedida.

Deixe seu Comentário